quinta-feira, fevereiro 21, 2008

Flanela de festa




A galera da faculdade decidiu fazer a despedida do semestre com uma “chopada” em um clube. Foi um grande evento, por sinal, muito organizado, com direito à banda de rock pop e, claro, chope liberado. Quem comprou ingresso antecipado, fez bem! Escapou dos cambistas. Antes de entrar, fiquei jogando conversa fora com os amigos, mas de olho vidrado nos flanelinhas. Tinham mais ou menos uns dez. Disputavam carro a carro um pedaço de pão. Fiquei atenta aquele comportamento.
Eles ficavam na pista oposta ao clube, parando os carros, perguntavam quem ia ao evento. Acertando, seguiam o carro até o retorno, aproximadamente uns 200 metros de onde o paravam ou gritavam para os outros que estavam no retorno: Este aí é meu, hein?! E, os outros respeitavam.

Fiquei ali, por quase uma hora. Eles sentiam-se os donos da rua, verdadeiros “arroz de festa”, melhor: flanelinhas de festa. Logo, já estavam com um estacionamento gigantesco. A tarifa? Estipulada por eles. E quem é louco em burlar? Com certeza, no lanterneiro sairá mais cara.

Nenhum comentário: