quarta-feira, agosto 23, 2006

SEXUALIDADE:INFLUÊNCIAS CULTURAIS


Falar sobre sexualidade neste aspecto, caro leitor, é um pouco arriscado, pois não sou especialista no assunto, sou apenas uma estudiosa...Vou encontrar muitas barreiras, mas devo ser forte, derrubarei todas que ver pelo caminho!

A sexualidade faz parte da vida cultural em diversas regiões do mundo, da mesma forma que existe a maneira de ser, vestir, brincar e amar. O ser humano vive seus momentos carnais intensamente de acordo com sua natureza. Cabe a ele o senso das suas condições financeiras para procriação, ou seja, ter filhos conforme suas condições financeiras – pelo menos no Brasil não funciona assim, é claro.

Quando não há maturidade e nem amor a própria vida, existem apenas curiosidades, desejos e “aconteceu”! O que a sociedade, as religiões e a família impõe influência direta ou indiretamente nos atos irresponsáveis de uma gravidez precoce, doenças sexualmente transmissíveis e aborto.

Muitos pais que tiveram boas experiências em sua formação de caráter e de personalidade, com certeza querem que os filhos tenham-nas também. Mas quando comparam a época dos filhos com a sua época, percebem que as tendências sócio-culturais moldam seus filhos e, assim deixam de impor regras e limites que na sua época eram impostos, principalmente quando o assunto é sexo.

O sexo sofre muitas transições e variações desde o primeiro casamento até os dias de hoje, isso em muitos lugares do mundo. No entanto deve ser tratado com cuidado para que o ser humano possa desfrutá-lo de forma saudável, falo assim, por que existe a forma contrária: A exploração sexual e outras manias para fazê-lo de forma estúpida e abominável.

Já que a AIDS passou a ser uma realidade, deve ser tratada com mais cuidado ainda, de tal forma que haja sempre busca por alternativas de prevenção e que, não fique apenas em campanhas, todos devem ter amor a si próprio, todos devem ter consciência.

4 comentários:

Thiago Quintella disse...

A sexualidade vira um tema tabu, graças à igreja católica, mas é algo inconsciente, log atemporal. Entretanto, não se tranca nem se consegue proibir as ações originadas da libido... e pq não, do amor!

Joel disse...

Lena, percebe-se nos seus textos que você tem um pleno nível de entendimento sócio-cultural. Parabéns novamente. É com a difusão de esclarecimentos necessários que iremos, se Deus quiser, colocar as pessoas num patamar de consciência que tornará as relações humanos um tanto mais civilizadas.
PS.: A próxima crônica que postarei no blog "Crônicas do Joel", será em sua homenagem!

ALF O Extasiado disse...

Sexualidade.Amor. Banalizados?
hoje tudo flui mais abertamente, e a questão desse assunto desde tempos vivem em polêmica. Hoje é assim ainda.

ótimo texto. Muito relfexivo.

abraços.
;)

mAlu__ disse...

bom, [uma fofoca], minha mãe fez pedagogia e se especializou em educação sexual, então...aqui em casa temos umas 2 estantes somente de livros obre isso...já ouvi bastante, comentei bastante, e isso é um assunto polêmico, e você conseguiu abrangir de maneira muito simples e direta. acho que as relações sexuais, e todas essas doenças, não estão relacionadas somente à educação, criação, ou classe das pessoas. e sim, da sua própria cultura, da maneira como agem uma com as outras, em geral. os tipos de relações que temos. comparando uma muçulmana, que é casada com um homem que possui várias mulheres, e a vida de uma mulher independente no brasil. isso tudo influencia. amei. beijos.